CONSTELAÇÕES SISTÊMICAS

CONSTELAÇÕES SISTÊMICAS

Uma nova e poderosa resposta para a harmonia nas relações

 

Daniele Tedesco

Psicoterapeuta

 

As Constelações Sistêmicas se iniciaram como uma técnica da psicologia sistêmica, aprendida pelo alemão, pedagogo e teólogo Bert Hellinger, que incorporou leis sobre o convívio em comunidade, aprendidas por ele em uma tribo africana.  Hoje são um importante recurso para harmonizar relações humanas (familiares, empresariais e judiciais) a partir de um integrante que tenha intenção de pacificação.

 

Abafaro próprio sofrimento pode muitas vezes tornar o problema original ainda maior ou gerar reações em cadeia que podem tornar-se bolas de neve e atingir até mesmo pessoas que não estavam relacionadas com o problema original.

 

Neste trabalho observamos pelos menos três leis básicas para um bom funcionamento saudável da família e seus integrantes. São elas:

 

1)  PERTENCIMENTO: todo membro da família, vivo ou não, e independentemente de sua conduta, opiniões ou atitudes, tem o direito de pertencer à família, e a sua existência de cada um, que esteja incluído ou excluído do sistema familiar, traz dinâmicas e consequências para os outros integrantes do sistema.

 

2)  ORDEM: o sistema possui uma ordem natural de organização, em que cada um possui e deve desempenhar o seu papel (de pai, mãe, filho, esposa, marido, etc.), assim como respeitar o lugar e a ordem (mais velhos e mais novos) de cada membro do sistema, para que este funcione e flua em harmonia, com cada um desempenhando o que cabe ao seu lugar naquele sistema.

 

3)  EQUILÍBRIO: toda relação deve contemplar um equilíbrio entre o dar e receber (afeto, lealdade, companheirismo, dinheiro e tudo o que envolve a energia trocada entre as partes).

 

Essas premissas restabelecem o funcionamento saudável do sistema, seja ele familiar, organizacional, escolar ou social.

 

As Constelações Sistêmicas permitem olhar de forma clara para as informações subliminares que geram bloqueios e conflitos, por meio de maquetes ou trabalho em grupos, onde um membro do sistema pode observar interações disfuncionais que causam sofrimento e harmonizá-las por meio de intervenções pontuais,possibilitando interromper padrões de repetição que geram sofrimento individual e coletivo.

 

Alguns sintomas de bloqueios sistêmicos podem apresentar-se em forma de dificuldades de relacionamento, problemas que se repetem ao longo de gerações, dificuldades para estabelecer família ou engravidar, ansiedade, desânimo, depressão, doenças psicossomáticas, problemas psicológicos e psiquiátricos, abuso de álcool/drogas/medicamentos, conflitos recorrentes com os pais, filhos, irmãos ou parceiros, dificuldade para lidar com dinheiro, problemas profissionais e outros e que podem estar relacionados a questões na família atual ou em gerações anteriores que envolvam situações como as seguintes:

 

·   Abortos ou filhos natimortos (que nasceram mortos)

·   Adoções complicadas, em que tenha havido sofrimento importante pré ou pós-adoção (dos pais adotivos, da criança ou mesmo dos pais biológicos)

·   Filhos não reconhecidos

·   Familiares “esquecidos” ou excluídos da família 


·   Recasamentos ou fortes relacionamentos anteriores

·   Suicídios

·   Assassinatos

·   Violência física ou emocional

·   Abuso sexual


·   Doenças mentais


·   Alcoolismo/ Drogadição

·   Quebra de vínculos

 

Esse trabalho complementa e potencializa outras abordagens de trabalho psicoterapêutico, assim como tem facilitado o trabalho de administradores, líderes e gestores em suas equipes, além de estar revolucionando a maneira de solucionar conflitos no judiciário brasileiro, tendo inclusive proporcionado 90% de conciliações, por um juiz constelador em sua atuação.

 

Algumas aplicações possíveis das constelações nesse meio incluem:

·     Divórcios litigiosos

·     Conflitos em questões de inventários

·     Fusões empresariais

·     Sucessão empresarial

·     Processos de adoção

·     Alienação parental

·     Processos entre cônjuges, pais, filhos e irmãos

 

As constelações sistêmicas são também amplamente empregadas em empresas familiares com questões de equipes, mapeamento de cenários visando informações para facilitar processos de tomada de decisão, diagnóstico sobre a força de uma determinada marca ou produto, problemas com vendas, logística ou atendimento aos clientes, conflitos entre pessoas ou setores, estruturação de equipes, entre muitas outras aplicações.

 

Grandes empresas no Brasil já aderiram à metodologia e, conforme pesquisas realizadas após os trabalhos, relataram terem obtido como benefícios, principalmente:

 

·   Insights e clareza sobre os cenários micro e macro empresariais

·   Maior foco e espírito de equipe

·   Maior comunicação entre setores e colaboradores

·   Sintonia entre funcionários e lideranças

·   Visualização de objetivos

·   Aumento nas vendas

·   Maior disposição para o trabalho e alcance de objetivos

·   Alinhamento do planejamento estratégico com os reais objetivos da empresa

·   Fortalecimento da marca

·   Identificação dos próprios objetivos pessoais e profissionais e posição na empresa

 

Diante dessa possibilidade, pode-se lidar com os problemas de sempre a partir de uma nova perspectiva e com novas soluções, alinhadas aos contextos de interconectividade do mundo atual.

Esse é a apenas o início de uma nova compreensão das relações humanas, proporcionando melhorias coletivas a partir de movimentos simples e que trazem grandes e positivas transformações não só nos contextos atuais, mas também para as próximas gerações.

 

Após este trabalho, pessoas sentem e apresentam mais saúde emocional, psíquica e até física, estabelecem relacionamentos mais saudáveis e realizam movimentos mais firmes em relação ao seu próprio futuro, sucesso e prosperidade.

 


 

CONSTELAÇÕES SISTÊMICAS

IBOPE: 61% aprovam a adoção de crianças por casais homoafetivos


IBOPE: 61% aprovam a adoção de crianças por casais homoafetivos
Por Claudia Salgado

Na semana da 23ª edição da Parada LGBT, que acontece em SP no próximo domingo, 23 de junho, uma pesquisa do IBOPE Conecta mostra que praticamente metade dos internautas brasileiros (53%) são favoráveis a união civil entre pessoas do mesmo sexo, percentual que em 2013 era de 47%.

IBOPE: 61% aprovam a adoção de crianças por casais homoafetivos

Pão, comer ou não comer?


🥖PÃO, COMER OU NÃO COMER❓

:

Vejo muita gente falar do pão como se ele fosse uma droga poderosíssima ☠️. Virou quase um pecado mortal consumir!No café da manhã já virou proibição com julgamento na corte marcial e tudo!😂

:

🙋🏼Calma gente, venho pedir a vocês BOM SENSO!

:

✅Se para alguns é habito consumir ovos no café da manhã, para outros não é e alguns pacientes sofrem muito com essas restrições e imposições midiáticas, restringindo diversos alimentos.

:

✅Cada um deve ser responsável por suas escolhas e respeito muito, mas será que é necessário EXCLUIR O ALIMENTO quando dentro do seu contexto de vida ele é um habito?

:

🍞LEMBRO QUE: alimentação não é imposição e o prazer de se alimentar deve estar sempre presente!

Afinal qual o sentido de comer o que não se gosta NUNCA❓

:

MAS AFINAL QUAL O MELHOR PÃO ENTÃO❓

🍞🥖Existe o branco, o integral, sem glúten, pão de centeio, pão caseiro, o Rye bread (sem glúten totalmente integral), o pão de fermentação natural, opções orgânicas, enfim tem para todos os gostos e necessidades.

:

👩🏼‍⚕️DICA : o pão caseiro integral, pão fermentado naturalmente, Rye bread e versões orgânicas e glúten free são ótimas escolhas! 😉

:

🚫Pão não é veneno, não mata e não é obrigatoriedade numa dieta. Dá pra incluir pra quem gosta de maneira equilibrada. JAMAIS responsabilize os alimentos pelo seu comportamento. Se pão é a razão pela qual você engorda é porque você está consumindo de maneira errada! PENSE NISSO 💡

:

Agende sua consulta:

☎️+44 (0) 7756988135

✉️carolina@carolinasimon.co.uk

🌐 Atendimento online disponível para o mundo todo!

📍Harley Street, Marylebone

W1G9QN :

#nutricionista #reeducacaoalimentar #nutricaointeligente #nutricionistaemlondres

Pão, comer ou não comer?

Processos por crimes com faca estão no nível mais alto desde 2010.


Processos criminais de faca no mais alto nível desde 2010.

Mais de um terço dos infratores agora recebem penas de prisão imediatas , o número de pessoas processadas por crimes com facas estão no nível mais alto desde 2010, quando a Scotland Yard enfrenta uma epidemia de violência nas ruas, segundo dados oficiais divulgados hoje.

Mais de 22.000 ofensas de posse ou ameaças com lâminas resultaram em uma condenação ou cautela em 2018/19, com um em cada cinco dos culpados com idades entre 10 e 17 anos, disse o Ministério da Justiça. Mais réus condenados por tais crimes receberam sentenças de prisão imediatas, até 37 por cento, de 22 por cento no ano anterior.

A duração média das sentenças de prisão em 2018/19 aumentou de 5,5 meses para 8,1 meses, a mais longa desde 2009.

Cerca de três quartos dos criminosos foram infratores pela primeira vez, com fontes do governo dizendo que isso é evidência de que a regra das “duas greves” está funcionando.

Os dados do Reino Unido mostram que no ano que terminou em março de 2019 havia 22.041 ofensas de armas ofensivas e facas tratadas pelos tribunais - a maioria por posse de facas.

Este é um aumento de 34 por cento no total no ano que terminou em março de 2015 - quando havia 16.438 ofensas tratadas pelos tribunais. É o maior desde o ano que terminou em março de 2010, quando havia 23.667 ofensas. Os dados aparecem no momento em que a Scotland Yard enfrenta uma epidemia de violência com facas em Londres, em grande parte motivada por disputas entre gangues.

O número de infratores envolvidos em sua primeira ofensiva e armas ofensivas aumentou em 24% no ano passado para 14.183 - o quinto aumento em cinco anos.

O Met aumentou o uso de poderes de parada e busca em pontos críticos de violência em mais de 400% no ano passado, visando infratores conhecidos.

O ministro da Justiça, Robert Buckland, disse: “Este governo está empenhado em fazer tudo o que estiver ao seu alcance para impedir o crime com facas e suas conseqüências devastadoras em vidas e comunidades.

“Estes números mostram que se você for pego carregando uma faca, é mais provável que seja mandado para a prisão - e por mais tempo - do que em qualquer outra época na última década ... a Lei de Armas Ofensivas tornará mais difícil para os jovens comprarem facas e ajudar a polícia a atacar pessoas em risco de serem levadas à violência ”.

Fonte: Evening Standard

Processos por crimes com faca estão no nível mais alto desde 2010.