Coral Vivo será a cor de 2019 de acordo com a Pantone.

Pantone revela a cor que mais se vai usar em 2019

Depois do Ultra Violet, a empresa norte-americana escolheu o número 16-1546.

Todas as roupas que tinha no armário e peças decorativas espalhadas pela casa na cor Ultra Violet são para guardar. A  Pantone anunciou em dezembro passado que a cor que mais se vai usar em 2019, chama-se Living Coral (em português, Coral Vivo) e está associada ao número 16-1546.

Mais uma vez, a escolha da empresa norte-americana está relacionada com a atualidade. Em 2017, o Greenery foi escolhido para apelar às questões ambientais. Este ano, o Ultra Violet esteve relacionado com nomes como Prince, David Bowie e Kimi Hendrix e a imaginação que trouxeram à cultura pop.

Desta vez, segundo a vice-presidente do Pantone Color Institute, Laurie Pressman, trata-de se uma “reação ao ataque de tecnologia digital e redes sociais que se infiltram no dia a dia”.

“Com tudo o que está a acontecer hoje, estamos à procura de qualidades humanizadoras, porque estamos a ver a vida online a desumanizar muitas coisas. Estamos a olhar para as cores que alimentam e trazem conforto e familiaridade e que nos fazem sentir bem”, acrescenta.

Esta cor vem dos anos 50 e 60, em que estava muito presente em carros, acessórios e na moda. A cor também está relacionada com os corais que dão abrigo à vida marinha e que estão a morrer por causa do plástico que vai parar aos oceanos.

Há já 20 anos que os membros do Pantone Color Institute se reúnem para fazer uma análise das atuais e futuras tendências e decidem uma cor como mote para o ano seguinte, que acaba por influenciar todas as áreas.

Texto: Andreia Guerreiro

Coral Vivo será a cor de 2019 de acordo com a Pantone.

Nhoque de batata-doce.

Nhoque de batata-doce com molho de castanha e cogumelo.

Ingredientes

  • 2 xícaras de Batata-doce cozida e amassada (em geral, duas unidades pequenas) 

  • 4 colheres (sopa) de farinha de arroz (rasas) 

  • 2 colheres (chá) de polvilho doce (para a massa) 

  • 2 colheres (chá) de polvilho doce (para o molho) 

  • 2 xícaras de leite de castanha-do-pará (bata 12 castanhas-do-pará com 2 xícaras de água no liquidificador por dois minutos) 

  • 100 cogumelo shiitake ou shimeji frescos 

  • 2 colheres (café) de óleo de coco

  • • sal rosa do himalaia a gosto 

  • • pimenta-rosa aroeira a gosto 

  • • noz-moscada a gosto 

Modo de preparo

Prepare a massa

Em uma tigela, misture a batata-doce com 4 colheres de sopa de farinha de arroz, 2 colheres de chá de polvilho doce e sal rosa a gosto.

Modele os nhoques.

Em uma panela com 1 litro de água fervente, cozinhe-os até que subam à superfície.

Escorra e reserve.

Prepare o molho

Em uma panela, dissolva 2 colheres de chá de polvilho doce no leite de castanha frio.

Adicione a pimenta-rosa, o sal rosa e a noz-moscada e leve ao fogo, mexendo sempre, até engrossar, sem deixar ferver.

Reserve.

Prepare os cogumelos

Em uma frigideira, salteie os cogumelos no óleo de coco por dois minutos e tempere com sal.

Sirva os nhoques com o molho e finalize com os cogumelos.

Receita exclusiva da chef Alana Rox, autora do recém-lançado Diário de uma Vegana.

Nhoque de batata-doce.