CORPO E AUTOESTIMA

CORPO E AUTOESTIMA

Daniele Tedesco

 

 

A relação que cada pessoa estabelece com seu próprio corpo é um importante indicador da autoestima. Sentimentos como insegurança, insatisfação, medo e comparações muitas vezes permeiam essa relação e acabam levando a comportamentos extremos e sobrecarga emocional e psíquica em busca de uma "imagem perfeita". 

 

O que pode ser observado na prática de “dietas milagrosas”, abusos na prática de exercícios (em frequência e intensidade), distúrbios alimentares (como anorexia e bulimia), ansiedade e até depressão. Cuidar do próprio corpo passa, acima de tudo, por um ato de amor por si próprio. Manter uma alimentação saudável, praticar exercícios, dormir adequadamente, evitar o uso de álcool e drogas, ter equilíbrio entre os momentos de trabalho, lazer e relaxamento são cuidados que todas as pessoas devem ter consigo. 

 

O descuido com a própria saúde e a autoestima acontece quando se perdem de vista a atenção e o cuidado consigo mesmo, em detrimento de demandas externas. 

 

Esse comportamento tem reflexos diretos no corpo, denunciados no cansaço, stress, gordura em excesso (ou perda excessiva de peso), insônia, falta de prazer na realização das atividades diárias, falta de libido, insatisfação nas relações sociais e familiares, desânimo, falta de energia, entre outros. 

 

Se sensações como essas têm feito parte de sua vida, talvez seja hora de se perguntar: você tem andado desligado de si ultimamente?        Tem deixado sempre para depois o cuidado consigo mesmo? Sente-se triste? Insatisfeito? Desanimado? Sobrecarregado? Sente que a vida anda sem brilho ou sem direção? 

 

Respostas afirmativas a essas perguntas podem ser sinal de baixa autoestima, que muitas vezes se traduz em forma de insatisfação com o corpo, mas que pode trazer como origem crenças básicas de que a opinião dos outros é sempre mais importante, críticas e cobranças direcionadas a si mesmo em excesso, sobrecarga emocional advinda de possíveis traumas, timidez, dificuldades de socialização, entre diversas outras causas. 

 

O anseio por se sentir amado(a), ter alegria, felicidade e prazer na vida são características naturais, além de direito de todo ser humano, e que qualquer pessoa pode resgatar em sua vida. Dedique-se a descobrir suas qualidades, seus pontos fortes, talentos, motivações, projetos de vida. 

 

Cuide da sua saúde física e emocional, envolva-se em atividades que lhe deem prazer, conviva com pessoas que extraiam de você o seu melhor, lhe puxando para cima, lhe dando alegria, apoio, incentivo e parceria – e faço o mesmo com as pessoas ao seu redor. 

 

Elimine do seu convívio tudo o que possa, por algum motivo, estar atrapalhando o seu caminho, prejudicando sua capacidade de ser feliz e de se autorrealizar, dentro dos seus propósitos de vida. 

 

Abandone modelos impostos e generalizados sobre beleza, sucesso e realização e busque suas próprias motivações e convicções.

Comece a partir de hoje a pensar e agir de acordo com tudo o que possa colaborar com o seu autodesenvolvimento e com a percepção de si mesmo como alguém saudável, bonito e capaz, dentro das suas próprias qualidades, que são únicas e insubstituíveis, em todas as áreas da sua vida.