Estudantes universitárias indianas protestaram para suspender o toque de recolher feminino.

Estudantes universitárias indianas protestaram para suspender o toque de recolher feminino.

O Instituto Regional de Educação de Bhopal, uma instituição que ensina os alunos a serem professores, restringiu o movimento das mulheres.

Estudantes do sexo feminino tiveram que estar de volta em seus quartos do dormitório às 17:30 no inverno e às 18: 45h nos outros horários.

Pior ainda, elas saíam do campus apenas uma vez por semana, no sábado, entre as 13h e as 18h, e se uma mulher tivesse que sair do campus por um período de tempo um pouco mais longo, ela precisava obter permissão por escrito de seus pais e tê-la assinado por dois funcionários da universidade.

Tais regras "não se aplicavam" aos homens no campus, informou o Washington Post.

As mulheres protestaram contra as regras inspiradas no coletivo feminino Break the Cage, que faz campanha para se livrar de toques de recolher e regras impostas às mulheres. Uma estudante que participou do protesto disse: Sem o apoio do coletivo, “nosso protesto não teria sido ouvido”.

Depois de três dias, o governo mudou suas regras. De acordo com as novas regras, as mulheres não precisam voltar ao campus até as 20h e podem permanecer fora do dormitório no campus até as 21h.

Tais protestos estão ganhando terreno no país. Estudantes do sexo feminino no Instituto Regional de Educação quebraram o toque de recolher uma semana após os protestos em Bhopal e em outubro, estudantes da Universidade de Panjab protestaram por 48 dias.

Break the Cage o movimento , protestou em Delhi nas faculdades Miranda House e Lady Shri Ram College, como o mesmo elas se livraram da regra que forçava estudantes do sexo feminino a ter guardiões locais.

Tais protestos fazem parte do movimento #MeToo em desenvolvimento na Índia. As mulheres entraram recentemente em um templo que proíbe visitantes do sexo feminino.

Fonte : Sky news