Crítica : A livraria mágica de Paris

Crítica : A livraria mágica de Paris

   

A autora descreve o que aconteceu com um homem, que sabia curar outras pessoas através de livros indicados por ele, ao perceber que ele precisava buscar a sua própria cura após 21 anos atormentado por uma desilusão amorosa.

Uma viagem no embalo das letras, de Paris ao sul da França, que estimula reflexões e desperta sentimentos e desejos; este, é um pequeno parecer que pode ser constatado ao ler este livro que permaneceu mais de um ano nas listas de livros mais vendidos da Alemanha e foi best-seller na Itália, Polônia, Holanda e Estados Unidos (*).

A autora conseguiu reunir em "A livraria Mágica de Paris" títulos de famosas literaturas mundiais e peculiaridades sobre gastronomia e regiões da França numa rede de emoções relacionadas aos medos, perdas, buscas, coragens e paixões humanas do tipo "exagerado, jogado aos seus pés"...

Os acontecimentos relatados ficam entre relações turbulentas, encontros maduros e despertar de amores.

Um romance gostoso para ler (principalmente depois de um dia cansativo), imaginando sabores e curtindo os textos poéticos figurados dentro desta bela obra literária que merece ter mais de um milhão de exemplares vendidos no mundo.

Texto escrito pela colaboradora : Simone Sabedot