RELACIONAMENTO: OCEANO DE ALEGRIA COM ILHAS DE PROBLEMAS

RELACIONAMENTO: OCEANO DE ALEGRIA COM ILHAS DE PROBLEMAS

 

Há anos ouvi de um amigo terapeuta que um relacionamento saudável é um oceano de alegria com ilhas de problemas. Se ocorrer o contrário, algo está confuso. Isso vale para toda sorte de relacionamentos (amorosos, profissionais etc.).

Um relacionamento não precisa ser um jogo (de poder, de autoafirmação excessiva) ou um exercício de projeção e expectativas, mas uma coreografia em que cada qual dá o seu passo e se revela (tira o véu). Em vez de “você é” ou “você faz”, que tal o “eu me sinto assim quando”? Também é importante buscar compreender a razão de tal sentimento, o qual, muitas vezes, não é destrutivo (intencional ou não) por parte do outro, mas diz muito sobre a história do “eu” e merece diálogo interior e com a outra parte.

Num relacionamento interpessoal saudável as partes se ajudam a crescer. Contudo, o relacionamento é saudável exatamente porque não é terapeutizado. Faz parte das expectativas comuns esperar que o outro se comporte como uma espécie de terapeuta full time. Por inúmeras razões, o relacionamento se esgotará.

A questão sempre é o “eu”, e não o “outro”. Quando aponto o dedo para o parceiro, estou me vendo no espelho. Geralmente quem reclama que o outro eleva a voz é quem bate o pé, a porta e esmurra a mesa, ou seja, exige do outro, em excesso, o mínimo que não vivencia. Por outro lado, não vale justificar a própria agressividade porque “fui provocado (a) pelo outro”, uma vez que cada um pode evitar entrar nessa energia, a resposta sempre é individual, ou seja, a questão sempre é o “eu”, e não o “outro”.   

Em tempo: Buda ensina que “o que reprovo em ti, corrijo em mim”. Simples, mas de uma complexidade infinita, como o universo que cada um de nós é.

Sinto muito, me perdoe, te amo, sou grato (a).

Sinto muito, me perdoe, te amo, sou grato (a).

Sinto muito, me perdoe, te amo, sou grato (a).

PERFILEDITORA.jpg

Ademir Barbosa Júnior (Dermes) é terapeuta holístico e escritor. Mestre em Literatura Brasileira pela USP, é também Doutor Honoris Causa pelo MCNG-IEG (2018) e pela FEBACLA (2019), membro da Academia Independente de Letras e sacerdote umbandista.