Tolerância: o elemento necessário para abraçar a diversidade de uma nova cultura.

Tolerância: o elemento necessário para abraçar a diversidade de uma nova cultura.

 Mirna Kauffman

 Cheguei, assim como quem não quer nada. Afinal, o Velho Continente é bastante intrigante, especialmente para aqueles que o conhecem apenas pelos livros.

 

Londres é assim, possui uma magia. Você caminha na história, vivencia a realeza. Seus museus, suas galerias, sua arte, seus monumentos históricos, bibliotecas, a diversidade de raça, religião e cultura. Tudo encanta, tudo seduz. 

 

Quando você está em Londres, tem a impressão de que não há outro lugar no mundo que possa te fazer tão bem. A cidade cosmopolita, que oferece muito além da cultura britânica, que carrega em seu pilar de valores o respeito e tolerância à diversidade cultural – conceito criado para compreender os processos de diferenciação entre as várias culturas que existem ao redor do mundo.

 

Abraçar a diversidade é estabelecer respeito. É harmonizar a cultura que trazemos conosco e se abrir para conhecer novos valores, essenciais para exercer cidadania quando resolvemos fazer de um outro país o nosso lar. Para mim, foi a inclusão em uma cultura ricamente diversa que fez romper minhas resistências para entender melhor o mundo de alguém que vem de uma realidade completamente diferente da minha. Descobrir a beleza por trás do véu de uma amiga muçulmana, a alegria entre as inúmeras roupas coloridas, colares, pulseiras e temperos de uma amiga indiana, mudar a ideia sobre uma cultura fria e experienciar a cumplicidade e lealdade de uma amiga inglesa.

 

Você pode estar perguntando; tudo então é perfeito? Claro que não é! Mas na diversidade exercemos a tolerância, na tolerância nos abrimos para afinidades e na afinidade temos a oportunidade de construir relacionamentos. Eu sei que mudar de país é uma experiência individual: há aqueles que vieram contra a própria vontade, movidos pela necessidade e oportunidade financeira. É mais fácil para aqueles que mudam abertos a expandir seus conhecimentos. Porém, todos transitam diariamente entre diversidade linguística, culinária, étnica, religiosa, política e cultural que o país oferece.

 

Sendo assim não fica difícil nos adaptarmos como brasileiros vivendo em um outro país. Mas será que nos adequamos à diversidade cultural londrina?

 

Na terra de múltiplas oportunidades, aprendemos rapidamente os nossos direitos – trabalhistas, de acesso à saúde, de inclusão, de liberdade de credo, de liberdade sexual. Porém, muitas vezes falhamos em assumir nossos deveres de integração na sociedade. 

 

Trazemos em nossa mala uma herança cultural incrível. O Brasil é uma terra de diversidade de raça, música, fé e costumes. E temos, sim, que nos orgulhar da beleza da nossa herança. No entanto, devemos estar dispostos a abraçar as diferenças, dando ao outro a oportunidade de ser aceito e enxergar em outras culturas aquilo que gostaríamos que enxergassem em nós, como brasileiros. Posso fazer do Reino Unido a minha pequena “Terra Brasilis”, construindo muros ao redor da minha cultura, e na maioria das vezes fazemos isso inconscientemente como um elixir para acalentar a dor de expatriar. 

 

Abraçar uma nova cultura e quebrar paradigmas: esse convívio nos leva a desenvolver a tolerância e a exercitar a capacidade de aceitação pela diversidade em todos os seus âmbitos. Não se assuste com isso! Todos temos preconceito limitante, enraizado há algum tempo em nosso subconsciente, que nos impede de experienciar o novo ou aquilo que achamos ser diferente. Temos que sepultar os velhos paradigmas e fazer nascerem novos conceitos. Adequar-se a cada ser do universo de acordo com a riqueza da diversidade que cada um possui.

 

Ouse tentar! Experimente uma nova culinária, amplie seus conhecimentos, faça novos vínculos de amizade com pessoas de costumes diferentes dos seus. Você descobrirá o quanto de conhecimento existe a ser construído para o enriquecimento pessoal e a soma de valores a toda cultura que trazemos do nosso país quando emigramos.

 

Abraçar a diversidade em uma nova cultura faz a jornada mais leve e enriquecedora. Pode nos transformar de imigrantes econômicos a cidadãos do mundo.

 

Permita-se!