História das franjas no mundo fashion

História das franjas no mundo fashion

 

Fernanda Andrade

 

Sinônimo de glamour e sofisticação, elas são mais antigas do que se imagina. O primeiro registro sobre franjas está na Bíblia: Deus ordenou aos israelitas, por meio de Moisés, que fizessem franjas nas abas das suas vestes. Isto era uma particularidade da vestimenta dos israelitas hebreus e fornecia um lembrete visual de que os mandamentos de Deus deveriam ser obedecidos. 

Nas tribos indígenas americanas, roupas de franjas serviam como uma espécie de calha para escoar a água da chuva. As franjas eram colocadas nas laterais ou bordas das roupas em forma de arestas ou fios pendurados, e eram feitas em couro ou camurça.

Na moda elas surgiram na década de 20 pelas mãos de Coco Chanel, que, influenciada pelo movimento da Boemia, lançou modelitos mais curtos e leves arrematados com franjas. Quando a dança charleston começou a fazer sucesso, os vestidos de franjas caíram no gosto das melindrosas dançarinas de cabarés, pois davam ainda mais movimento na hora da dança e tinham um grande apelo sensual.

No cinema elas fizeram sucesso nas vestimentas dos cowboys. O ator William Cody eternizou o uso das franjas em estilo faroeste no lendário "Búfalo Bill".

Na década de 60, as franjas voltaram com tudo no estilo folclórico (conhecido como folk). A mistura de elementos do rock com peças rústicas e artesanais era quase que item obrigatório entre os jovens. Desde então elas nunca mais ficaram esquecidas em nosso closet e conseguem roubar a cena em qualquer produção.

Para quem ainda tem um pouco de receio em aderir a esse estilo em movimento, a escolha de acessórios como bolsas e brincos pode ser um começo. 

Uma coisa posso garantir: elas podem vir mais fortes em algumas estações, mas nunca mais sairão de moda!

 

 

Peças: acervo pessoal

Maquiagem: Stela Carvalho