Fashion é ser sustentável 

Fashion é ser sustentável 

Marilia Maciel

Jornalista

 

 

Marcas de moda se preocupam com a sustentabilidade 

 

Estamos vivendo uma nova era na indústria da moda. As marcas estão se preocupando com o que andam produzindo, os materiais que estão utilizando e o quanto isso influencia no meio ambiente e na vida da população. 

 

O crescente uso do upcycling, nome dado à técnica de criar a partir de materiais já existentes, levou a indústria a criar o prêmio Green Carpet Fashion Awards, que teve sua primeira edição em setembro de 2017, na Itália. Entre os nomes que concorreram ao prêmio estavam Fendi, Valentino e Gucci. 

 

Mas não são só as marcas de luxo que estão envolvidas nesse processo: o grupo H&M, conhecido pelas suas marcas fast fashion,está apostando em peças de algodão orgânico e promete que até 2020 esse número atingirá 100% da sua produção. O grupo ainda tem outros projetos que envolvem sustentabilidade, como a reciclagem de roupas, onde até o momento foram coletadas 14.771 toneladas de tecidos, o equivalente a 89 milhões de camisetas.  A marca acredita em um processo circular, da reciclagem e reutilização dos tecidos, que seguindo o fluxo antigo parariam em aterros sanitários. 

 

Algumas marcas já foram criadas com DNA totalmente sustentáveis, como é o caso do guia abaixo:

 

Hype Vintage: Moda consciente feita a partir de peças resgatadas e customizadas, essa é a proposta da Hype Vintage.

Criada pela designer de moda Juliana Schmidt no início deste ano, a marca funciona como uma espécie de brechó para peças que precisam de um "up". Por meio de peças garimpadas e customizadas artesanalmente, ela propõe um conceito de moda consciente, autoral e exclusiva.

Além de repaginar peças garimpadas, encontradas com defeitos ou sem grandes atrativos, a marca também disponibiliza às suas clientes a possibilidade de customizar roupas que elas já tenham no guarda-roupa, oferecendo uma proposta nova e uma solução para aquelas peças que elas já não usam há muito tempo.

Imagem: instagram @hypevintagebr, fotográfa : Giulia Cillo 

 

Mollet: A marca foi criada seguindo o conceito “ slow fashion”. Confecciona peças atemporais, que possam ser usadas por muitos anos e em diversas estações, evitando o consumo desenfreado, o caminho oposto ao que segue a moda “ fast fashion”  Além disso eles se preocupam com a reutilização dos tecidos em diferentes peças, nada é desperdiçado. 

Imagem : instagram da marca @molletshop 

 

Another Land: A marca usa tecidos ecológicos a partir de garrafas pet ou fibras naturais.

Imagem : instagram da marca @anotherlandproject

 

Gioconda: Criando apenas lingeries exclusivas, a marca não tem produção em massa e tenta utilizar todo tecido que sobra na confecção de saquinhos para as calcinhas.

 

 Imagem: instagram da marca @giocondaclothing

 

Zerezes: O projeto que nasceu em 2012 produz os seus óculos a partir dos resíduos gerados no beneficiamento das madeiras redescobertas.  Além de pensar no meio ambiente, a marca tem um design cheio de personalidade. 

 

Imagem:  instagram da marca @zerezes