Violência  doméstica

Violência Doméstica

Silêncio da Sociedade

O medo de uma exposição negativa perante a família e a sociedade faz com que as vítimas demorem a denunciar e procurar ajuda.

O índice de violência doméstica e familiar vem aumentando consideravelmente. O crime, na maioria dos casos, é praticado por parentes e pessoas próximos à vítima. Apesar dos idosos, crianças e homens procurarem ajuda diariamente, está entre as mulheres o maior número de vítimas.

Para as autoridades, muitas das agressões ainda ocorrem entre casais "marido e mulher". Vítimas de violência física ou psicológica temem uma certa represália na sociedade ou exposição negativa no âmbito familiar, por isso demoram a fazer a denúncia, sofrendo calados, colocando em risco suas vidas. Não denunciar é dar oportunidade para uma reincidência do ato.

Para a psicóloga Ana Laura Dalagnol, as causas principais são os problemas com o alcoolismo, estresse de trabalho, desrespeito e as crises de raiva, causadas por fracassos e frustrações. Exceto nos casos de crimes mentais, a violência pode ser interpretada como uma tentativa de corrigir o que o diálogo não foi capaz de resolver.

Recentemente um caso chamou a atenção e teve grande repercussão aqui no Reino Unido. Um médico morador da cidade de Eastling ligou para o disque denúncia e relatou que um de seus pacientes, um homem com mais de 60 anos, estava sofrendo agressões físicas de sua esposa. O paciente disse não ter denunciado por estar envergonhado com a situação.

O caso começou a ficar inaceitável quando marcas físicas de agressão ficaram visíveis e difíceis de esconder. Preocupados, os colegas de trabalho começaram a achar estranhas as frequentes quedas que o homem dizia sofrer e resolveram levar o caso ao RH da empresa.

O médico Joseff Cardich pediu alguns exames e começou a conversar com o funcionário, que então confidenciou o que já era suspeitado. O médico imediatamentedenunciou o caso do seu paciente às autoridades.

A violência doméstica deve ser combatida. "Se você é vítima ou conhece algum caso, denuncie, não espere o pior acontecer", disse Dr. Joseff em uma entrevista a uma rádio local.

Na Inglaterra, ha com uma linha direta para denúncias, oferecendo apoio as vítimas com acompanhamento psicológico pós-agressão, para amenizar os.

National Domestic Violence

Helpline na Inglaterra: 0808 2000 247

upload.png