Infertilidade Masculina, Mitos e verdades

 

Durante muito tempo a infertilidade masculina foi tratada como um tabu. No passado, a figura do homem estava relacionada a seu papel de provedor, consequentemente, o traço cultural do machismo jogou sobre as mulheres o fardo da infertilidade, que na verdade é do casal.

 

Era inadmissível pensar que o homem não fosse capaz de gerar uma vida; e a própria ciência ainda não estava aparelhada para lidar com este paradigma e dar o diagnóstico de infertilidade masculina. Mas agora, com o avanço da ciência e o advento da medicina reprodutiva, sabemos que a realidade é bem diferente. A infertilidade afeta cerca de 20% da população do mundo, e os fatores da infertilidade, ao contrário do que muitos pensam, se dividem igualmente entre causas masculinas e femininas. Além disso, 30% dos casos são devidos a fatores em que ambos os parceiros exercem influência.

MITOS E VERDADES SOBRE A INFERTILIDADE MASCULINA:

* Fertilidade e virilidade estão ligadas.

Mito: É possível ter uma vida sexual muito ativa e satisfatória (boa ereção e ejaculação), porém ter problemas que impeçam a gravidez, como, por exemplo, baixa quantidade de esperma por ejaculação.

 

* Eu já tive filhos. Entäo minha mulher é a causa do problema.

Mito: O sêmen do paciente pode sofrer alterações que podem impedir ou dificultar que a gravidez ocorra. Há diversos fatores que podem causar malefícios à fertilidade, como varicocele, o uso de anabolizantes, tratamento contra o câncer (quimioterapia e radioterapia) e tipo de trabalho (motociclistas, cozinheiros, cabeleireiros, faxineiros).

 

* Eu sou homem, então serei fértil para sempre. A idade interfere na minha fertilidade.

Verdade: A partir dos 40 anos é comum a redução da quantidade e qualidade dos espermatozoides. O DNA dos espermatozoides se modifica muito a partir dos 55 anos de idade, aumentando o risco de mutações do material genético (DNA), e a chance de gerar fetos com malformações aumenta bastante.

 

* Álcool e drogas podem causar infertilidade.

Verdade: A ingestão regular de álcool (mais de 2 copos de vinho/semana) pode levar à diminuição da fertilidade, bem como o uso de outros entorpecentes, como cocaína, heroína, maconha e ecstase.

 

* Usar computador no colo pode contribuir para infertilidade?

Verdade: Pode interferir, por conta do aquecimento da região escrotal, e isso pode afetar a produção do esperma e o material genético do espermatozóide.

 

* Fumar pode cooperar para me deixar infértil.

Verdade: A qualidade e motilidade do espermatozoide diminuem, apesar da quantidade se manter estável.

 

* Remédios para tratamento de calvície interferem na saúde fértil.

Verdade: Certos medicamentos podem reduzir a fertilidade do homem, mesmo em pequenas doses. A suspensão da medicação por três ou quatro meses antes de tentar a gravidez poderá ajudar na concepção.

 

* Os efeitos colaterais dos anabolizantes para a fertilidade desaparecem depois do homem deixar de utilizar a droga?

Verdade: O homem, ao buscar ganho de massa muscular através do uso dos anabolizantes, coloca-se em risco de ter sua capacidade reprodutiva diminuída e, inclusive, de ter problemas de ereção.

 

* Altas temperaturas na região dos testículos reduz a fertilidade?

Verdade: Homens que trabalham expostos a altas temperaturas, como, por exemplo, em estufas e cozinhas industriais, têm um risco maior de produzir espermatozoides com motilidade diminuída (cansados), formas anormais (sem cauda, sem cabeça). Essas alterações inviabilizam a concepção.

 

* Obesidade diminui a fertilidade?

Verdade: O estudo da clínica, em Madri, revelou que homens obesos (BMI 30 ou mais) ejaculam cerca de 30% menos espermatozoides que os homens com BMI na média de 24.

 

DICAS:

 

* Uma vida saudável com alimentação equilibrada e prática de atividades físicas pode ajudar os a manter sua saúde reprodutiva por mais tempo, e em alguns casos, recuperar parte da fertilidade perdida com o passar dos anos.

 

* Realize exames prévios ao matrimônio ou relacionamento, para procurar tratamento, caso necessário. Um simples exame chamado espermograma pode lhe dar o diagnostico correto.

 

* Procure um especialista em reprodução humana após tentativas de gravidez sem sucesso.

 

Texto : Vâmia Martins , Ginecologista em Londres