Mente feliz, corpo feliz!


Mente feliz, corpo feliz! 

Temos a falsa crença de que a felicidade está relacionada às conquistas materiais ou à beleza de um corpo jovem, magro e perfeito, como se as "fofinhas" e as "tonas" (quarentonas, cinquentonas...) não tivessem direito à felicidade.

Podemos dizer que a felicidade é o estado de quem é feliz, independentemente da altura, largura e espessura, é uma sensação de bem-estar e contentamento consigo mesmo e que pode ocorrer por diversos motivos.

A felicidade é formada por diversas emoções e sentimentos, e pode se manifestar por um motivo específico, como um sonho realizado, um desejo atendido, ou até mesmo caracterizar pessoas que são conhecidas por estarem sempre felizes e de bom humor, para as quais não é necessário nenhum motivo específico para elas estarem em um estado de felicidade.

Uma boa saúde mental está ligada a pensamentos e sentimentos positivos sobre nós próprios, como pessoas e em relação às nossas capacidades. A nossa mente tem uma relação direta ou indireta com o nosso corpo. Assim, à medida que “alimentamos” bem a nossa saúde mental (com emoções positivas, pensamentos adequados, etc.), melhor será a nossa saúde física.

Situações como o stress, a depressão, a ansiedade, a raiva, amargura e ressentimento, entre outras, podem provocar vários problemas físicos. Dão origem às chamadas doenças psicossomáticas (do termo psique=mente e soma=corpo), ou seja, distúrbios físicos causados por transtornos psicológicos e sociais.

Quantas vezes ao longo do seu dia você se aborrece com coisas pequenas sem importância, se deixa alterar por causa dos outros, fica frustrado ou mal-humorado? Todas essas cenas, por mais curtas que sejam, afetam a sua felicidade. Com o passar do tempo, ele podem gerar ansiedade, psicoses, neuroses, síndrome do pânico ou até levar à depressão.

O Dr. Bruce H. Lipton, Ph.D. em Biologia, no seu livro “A biologia da crença”, comprova por meio de suas experiências que as emoções e pensamento negativos disparam substâncias tóxicas como o cortisol, a noradrenalina, a adrenalina pelas glândulas suprarrenais, ocorrendo a aceleração dos batimentos cardíacos e da respiração, fazendo a pressão subir e os músculos se contraírem.

Segundo Dr. Bruce, o estresse crônico é altamente tóxico. Os hormônios cortisol, adrenalina e noradrenalina, liberados nesse processo de aceleração desenfreada, reduzem o calibre dos vasos e, em longo prazo, potencializam o risco de hipertensão e arritmias cardíacas.

Outros efeitos negativos do excesso de tensão no nosso organismo são a queda do desempenho cognitivo, as disfunções da tireoide, problemas de pele, enfraquecimento dos ossos, disfunção erétil e menor função reprodutiva, rigidez muscular e problemas gastrointestinais.

Pensamento e crenças que levam à falta de felicidade:

Você acha que deve ser estimado ou aprovado por todas as pessoas importantes em sua vida, por isso tem dificuldade de dizer não. Você crê que deve ser supercompetente, para ser digna de valor. Você está sempre esperando que as outras pessoas ajam conforme a sua vontade. Você fica extremamente preocupada com os problemas de outras pessoas que você gosta. Você crê que tem um controle absoluto, perfeito sobre as coisas. Que sabe de tudo e, principalmente, crê que sabe o que é melhor para os outros. Mas a boa notícia é que o nosso organismo também produz os hormônios da felicidade. São conhecidos como o "quarteto da felicidade": endorfina, serotonina, dopamina e oxitocina. Mas para isso devemos cultivar hábitos mentais saudáveis e emoções positivas, como o amor, bom humor, tolerância, paciência, empatia, ser agradecido, generosidade, comemorar pequenas ou grandes conquistas, confiança em si mesmo e por aí vai a lista...

Você quer ter uma mente feliz e um corpo feliz?

Saiba como ativas estas substâncias de forma natural:

1. Endorfinas - As endorfinas são uma espécie de analgésico natural, são consideradas a morfina do corpo.

Descobertas há 40 anos, as endorfinas são uma "breve euforia que mascara a dor física".

Dançar, cantar e trabalhar em equipe são atividades que aumentam o nível de endorfinas, melhorando a união social e a tolerância à dor.

Consumir alimentos picantes é uma das maneiras de liberar esses opiáceos naturais, o que induz a uma sensação de felicidade. Mas essa não é a única maneira de obter uma "injeção" de endorfina.

De acordo com estudo publicado por pesquisadores da Universidade de Oxford, assistir a filmes tristes também eleva os níveis da substância, por incrível que pareça!

2. Serotonina - A serotonina flui quando você se sente importante; o sentimento de solidão e até mesmo a depressão são indícios químicos à sua ausência.

Relembrar sobre suas últimas conquistas significativas permite ao cérebro reviver a experiência. Nosso cérebro não sabe distinguir entre o que é real e o que é imaginado, por isso produz serotonina em ambos os casos. É outra razão pela qual praticar a gratidão é tão importante. Ela nos lembra que somos valorizados e que temos muitas conquistas na vida para valorizarmos. Se você precisa de um impulso de serotonina durante um dia estressante, dedique alguns minutos para relembrar suas realizações e conquistas passadas.

3. Dopamina - A dopamina costuma ser responsável por sentimentos como amor e luxúria, mas também já foi tachada de ser viciante. Daí sua descrição como "mediadora do prazer".

Nos motiva a agir em direção a metas, desejos e necessidades, e nos dá uma onda de prazer quando conseguimos. Procrastinação, autodúvida e falta de entusiasmo estão ligadas a baixos níveis de dopamina.

4. Oxitocina - Por ser relacionada com o desenvolvimento de comportamentos e vícios maternos, a oxitocina é muitas vezes apelidada de "hormônio dos vínculos emocionais" e "hormônio do abraço".

Abraçar é uma forma simples de se conseguir que flua a oxitocina. Dar ou receber um presente é um outro exemplo.

A oxitocina cria intimidade, confiança e constrói relacionamentos saudáveis. É liberada por homens e mulheres durante o orgasmo, e pelas mães durante o parto e amamentação.

Pratique estas qualidades para ser mais feliz:

- Generosidade

Lembre-se de que você não é superior a ninguém e de que todas as pessoas merecem ser feliz. No seu dia a dia, procure ser generoso e afável. Muitas vezes, basta um sorriso para fazer os outros felizes, e se estivermos rodeados de gente satisfeita, acabamos também por ser contagiados por essa sensação de bem-estar.

- Disciplina Moral

Controle os seus pensamentos, palavras e ações. Não fira os sentimentos dos outros, cada um traz na sua mochila emocional histórias de vida que você desconhece. Procure colocar-se no lugar dos outros antes de os recriminar, criticar ou atacar. Essa relativização leva-nos, muitas vezes, a olhar para as pessoas e para as situações com outros olhos.

- Paciência

Contemple todas as dificuldades como experiências e aprendizagem. Fazer isso vai ajudar você a ver e encarar de forma mais positiva a vida. Ser mais paciente vai também permitir-lhe aprender a estimar mais as outras pessoas. Da próxima vez que esquentar motores, respire fundo!

- Exercícios físicos

Liberam a endorfina e te ajudam a aumentar a felicidade, autoestima e a saúde.

- Ser agradecido

O agradecimento fortalece e faz com que você se torne um ser melhor e mais humano. Tire 5 minutos por dia para agradecer por tudo o que há em sua vida.

A mente e o corpo agradecem!

Por Magda Lizbir Gomes