Ela foi vítima de um Brasil que retrocede

Militante, negra, mãe, feminista, lésbica e da periferia, essa era Marielle Franco. 

Na mídia nacional e internacional não se tem outra notícia além do assassinato da  vereadora pelo partido PSOL do Rio de Janeiro Marielle Franco, 38 anos, que foi morta brutalmente , na última quarta- feira a noite no centro do Rio de Janeiro quando voltava de um evento, o motorista do carro também foi atingido pelos disparos e faleceu. 

Frente à intervenção federal na segurança pública, Marielle estava ainda mais em evidência e  recentemente foi nomeada relatora da comissão de representação que acompanharia tal ação, isso a fez ser o  alvo da morte que a polícia acredita  ter sido planejada, em outras palavras " queima de arquivo".

Marielle tinha sua vida voltada para ajudar os excluídos, pois assim como ela eram mães, homossexuais,  negros ,  favelados, ela  não tinha medo de denunciar e lutar muitas vezes com suas próprias mãos pela dignidade do povo. 

Pode-se considerar a morte de Marielle como um aviso? No Brasil ou se cala ou se morre?  Que país é esse onde o cidadão nem se quer pode lutar pelos seus direitos? 

Como repetia Marielle Franco nos seus posts nas redes sociais  ou discursos  : 

" Quantos mais vão precisar morrer para que essa guerra acabe? " 

 

 Imagem: Google 

Imagem: Google