Não perca tempo.

Chega de blá-blá-blá

Juliana Albanez

Jornalista

 

Dias atrás, assistindo à série “The Crown”, que retrata a realeza britânica, em uma cena entre a Rainha Elizabeth e Winston Churchill, ele diz: “Desperdiçar tempo é um problema grave. O que aprendi em 52 anos de serviço público é que não existe problema tão complexo nem crise tão grave que não possam ser resolvidos em 20 minutos”.

 

E aí você pode imaginar que em todos os cenários pode haver um jeito mais simples, menos rebuscado de se comunicar, resolver conflitos, expor ideias  ou vender. Na realeza, no mundo dos negócios, em vendas não há mais tempo para frases soltas, caminhos que não chegam a nenhum destino. Na televisão, telejornais e em nosso dia a dia é muita energia jogada fora, reuniões que poderiam ser resolvidas por e-mail, excesso de burocracia que não nos leva a lugar nenhum. Nunca o desperdício de tempo foi tão caro.

 

Esquecendo a realeza e voltando para nosso mundo plebeu, empresas nunca deram tanto valor a profissionais com boa capacidade de comunicar, agregar e de se relacionar, abrir diálogo de forma democrática e mais simples, não simplória. Pessoas capazes de criar mercados, nichos, resolver problemas de forma prática e fazendo bom uso da comunicação expressa, efetiva e que em muitos casos surpreende pela objetividade e marca pessoal estão em alta.

E o interessante é que muitas pessoas acreditam  que essa forma de se comunicar é nova, que vem acoplada a esse mundo louco, de mudanças rápidas que estamos vivendo. Mas sabe-se,  e não é de hoje, que falar bem não é falar muito. 

 

E para não errar, vão as dicas:

ü  Concentre-se no que precisa ser dito e não no que deve impressionar.

ü Lembre-se de que nosso cérebro não assimila com qualidade o acúmulo de informações, por isso retire o excesso.

ü Amarre ganchos, faça sua comunicação ter sentido, ser interligada, como uma história, uma trajetória envolvente. O que você fala deve fazer sentido.

ü Mantenha um estilo, uma marca pessoal. A presença e a autenticidade causam um efeito surpreendente.

 

E avalie, sim, avalie sua comunicação com o mundo, com as pessoas ao seu redor, observe se você está conseguindo os resultados que espera. Você é o único responsável pela mensagem que passa ao mundo, não é a empresa ou seu chefe. Comece a analisar se as pessoas prestam atenção ao que você diz. Avaliação é um primeiro passo que pode não te levar à realeza, mas não deixa de ser um caminho majestoso.