A herança do trabalho!

A herança do trabalho!

 

Um jovem candidatou-se a um alto cargo numa grande empresa. Passou a entrevista inicial e foi selecionado para a entrevista final com o Diretor da empresa.

 

O diretor viu o seu CV, era excelente!

E perguntou-lhe: 

 

- Você recebeu alguma bolsa na escola? 

- o jovem respondeu - Não!

- Foi o seu pai que pagou os estudos?

- Sim. - respondeu ele.

- Onde é que o seu pai trabalha?

- O meu pai tem uma serralharia.

 

O Diretor, pediu ao jovem para lhe mostrar as suas mãos.

O jovem mostrou um par de mãos suaves e perfeitas.

 

- Você já ajudou alguma vez o seu pai no trabalho?

- Nunca, os meus pais sempre quiseram que eu estudasse. Além disso, ele pode fazer essas tarefas melhor do que eu.

 

O Diretor disse-lhe:

- Eu tenho um pedido, hoje, quando você for para casa, lave as mãos do seu pai. E amanhã de manhã, venha ter comigo novamente.

 

O jovem sentiu que, a chance de conseguir o trabalho era alta!

 

Quando voltou para casa, ele pediu ao pai para deixa-lo lavar as suas mãos.

O pai sentiu-se estranho e ao mesmo tempo feliz, era uma mistura de sentimentos. O jovem lavou as mãos do pai lentamente. Foi a primeira vez que ele percebeu que, as mãos do seu pai estavam enrugadas e tinham muitas cicatrizes. Algumas contusões eram tão dolorosas que sua pele arrepiou-se quando a tocou!

 

Esta foi a primeira vez que o jovem, deu conta do significado do par de mãos enrugadas do seu pai que, trabalha todos os dias para pagar os seus estudos. As contusões nas mãos, eram o preço que o seu pai teve de pagar pela sua educação, para lhe proporcionar um bom futuro.

Depois de limpar as mãos do seu pai, o jovem ficou em silêncio, arrumando e limpando a oficina do pai. Naquela noite, pai e filho conversaram por muito tempo.

 

Na manhã seguinte, o jovem foi encontrar-se com o Diretor.

O Diretor viu as lágrimas nos olhos do jovem quando lhe perguntou:

 

- Você pode-me dizer o que fez ontem em sua casa? 

O jovem respondeu: 

- Lavei as mãos do meu pai e também ajudei a limpar e a arrumar a oficina. 

- Que lição aprendeu? - perguntou o Diretor

- Agora eu sei o que é valorizar e reconhecer. Sem os meus pais, eu não seria quem eu sou hoje... Por ajudar ontem o meu pai, hoje percebo o quão difícil e duro é para conseguir fazer algo sozinho. Aprendi a apreciar a importância e o valor de ajudar a família!

 

O Diretor disse-lhe: 

- Isso é o que eu procuro nos meus colaboradores. Quero contratar uma pessoa que possa apreciar a ajuda dos outros, uma pessoa que conhece os sofrimentos dos outros para fazer as coisas, e que, não coloca o dinheiro como o seu único objetivo na vida. Uma pessoa que saiba o que é a “herança do trabalho”. Você está contratado!

 

Moral da história, saiba ter e sentir a experiência da dificuldade, aprendendo a capacidade de trabalhar em equipa, reconhecendo e valorizando esse esforço.

 

Com todo este reconhecimento e valorização, o colaborador terá condições de desenvolver as suas competências, de se comprometer com o desenvolvimento da empresa e ter a motivação de trabalhar para seu próprio crescimento profissional.

 

Reconhecer e valorizar aqueles que, se empenham no funcionamento de uma empresa, mais do que justo, é um ato de competência e contribuição para o desenvolvimento de profissionais talentosos.

 

Eu, agradeço aos meus pais por me ensinarem estes valores… a “herança do trabalho”!

Texto: Arnaldo Andrade

https://addandrade.wixsite.com/omeublog