Oportunidades de negócios que ajudam na prevenção de desastres naturais

Oportunidades de negócios que ajudam na prevenção de desastres naturais

Oportunidades de negócios que ajudam na prevenção de desastres naturais

Por Daniel Toledo*

Todos os anos, os Estados Unidos são atingidos por furacões e tornados. Em 2005, o Katrina arrasou a Costa Sul do país e deixou mais de 1.000 mortos, com prejuízo de 108 bilhões de dólares; em 2012, a tempestade Sandy devastou os Estados de Nova Jersey e Nova York, causou mais de 120 mortos e prejuízo estimado de 71 bilhões dólares. Mais recentemente, a tempestade Harvey que passou pelo Texas, matou 30 pessoas e pode ter deixado um prejuízo em torno de 12 bilhões de dólares. Em meados de setembro de 2017, o Irma, que perdeu força após deixar mais de 40 mortos, entre a Flórida e o Caribe.

Esses desastres movimentam a economia. Com a aproximação do Irma uma semana antes de sua chegada, muitos estabelecimentos não tinham mais água na região de Miami, o preço do combustível subiu, alguns itens de alimentação começaram a faltar nos supermercados, assim como pilhas e itens para estocar. Mais de 7 milhões de residências permanecem sem luz e os prejuízos são estimados em 50 bilhões de dólares.

O que é prejuízo para uns, seguradoras, por exemplo, pode ser lucro e possibilidade de negócios para outros. Acompanho muito os fenômenos naturais, por conta de oportunidades de investimentos que eles geram: ações de empresas que sobem e descem, novos negócios em construção residencial e comercial, além de manutenção e prevenção imobiliários. Alguns exemplos de opções que podem ser exploradas:

· Reforço de proteção em vidros: no Japão há uma película invisível que pode ser instalada fora da janela e suporta até 600 kg de impacto. Aqui nos Estados Unidos o costume é usar apenas películas internas, que evitam apenas que o vidro se estilhace, mas não têm a mesma proteção da tecnologia japonesa.

· Instalação de barreiras móveis: para evitar que a água entre na casa ou comércio há uma tecnologia na China que substitui placas metálicas por pequenas placas acrílicas, mais leves, menores e com durabilidade maior.

· Energia solar: os primeiros recursos impactados quando acontece um desastre natural de grandes proporções são a energia e a água. A tempestade passa em um ou dois dias, mas as pessoas ficam sem luz e água quente, por exemplo, por semanas.

Hoje o país está muito bem preparado e há uma série de aparatos tecnológicos para prevenção. Eu acompanho as boias do NOAA (National Oceanic and Atmospheric Administration), departamento do governo dos Estados Unidos que monitora fenômenos meteorológicos e de clima, para emitir alertas sobre desastres naturais. Eles captam dados como temperatura da água e do ar, movimento do vento e da água e uma série de outras informações que com o tempo, mesmo sem ser um especialista no assunto, é possível entender.

E, para quem deseja vir para o Estados Unidos, sempre indico que faça isso em um momento adequado. Os meses de dezembro e janeiro são a época do ano mais tranquila para se mudar para a Flórida, por exemplo, para que os imigrantes possam se acostumar com a cultura e se preparar para a época de tornados que começa em julho.

*Daniel Toledo é advogado especialista em Direito Internacional, sócio-diretor da Loyalty Miami, consultoria que realiza a implantação, gestão e administração de negócios internacionais www.loyalty.miami e presidente da ABAC – American Brazilian Association of Commerce.

Links da Loyalty Miami

www.loyalty.miami

www.facebook.com/loyaltymiami

www.youtube.com/loyaltymiamiusa

contato@loyalty.miami

WhatsApp +1 (305) 988-2283