Como Investir em Esportes nos EUA?

Como investir em esportes nos EUA e lucrar mais de 2 milhões de dólares em um ano?

Os americanos têm a prática de esportes muito presente em sua cultura. E, nos Estados Unidos, isso começa já na escola. As crianças são fortemente direcionadas para esportes por questões de saúde pública e também porque uma boa faculdade pode custar em média 150 mil dólares por ano, além do alojamento. Atletas de alta performance que possam representar as instituições de ensino em importantes torneios recebem bolsa e moradia. Dessa forma, os pais poupam dinheiro dando aos filhos oportunidade de estudar em universidades renomadas.

Dentro desse cenário, os times das escolas precisam de locais adequados para treinar e realizar os jogos oficiais organizados pelas federações. Um torneio de basquete da 5ª série, por exemplo, reúne 200 times da Flórida, que realizarão 300 jogos. Esses Sports Combats terminam no início de junho e, de meados de junho até o final de agosto os Sports Centers, locais que recebem as disputas, são alugados para Summer Camps, acampamentos de férias com recreação e treinos durante o dia.

Pensando em um cenário econômico, esses complexos esportivos são um excelente investimento, pois a demanda para eles já está criada. Esses centros de esportes têm várias quadras para dois ou três esportes. A exploração dos espaços se dá da seguinte forma: durante a semana são usados para pequenas equipes que não têm quadras próprias, para escolas e comunidades treinarem e aos finais de semana para campeonatos oficiais. Há ainda a locação de cantinas, cobrança de publicidade, entrada, camarote, área de estacionamento, etc.

Alinhado a isso a Loyalty Miami criou um projeto de investimento em Sports Centers, baseado em pesquisas, estudos de mercado e auditorias. Os dois primeiros complexos estão em andamento e serão construídos com capital próprio na área de Miami. O projeto contempla seis quadras para três esportes cada, com vestiários, duas cantinas, espaço para vending machines (equipamento para venda automática de comida e bebida), além de dois mezaninos que funcionam como camarote superior. As laterais das quadras têm arquibancada para 50 pessoas e há ainda um espaço lateral, fora das quadras, para os jogadores se aquecerem.

Com custo total de 1,3 milhão de dólares, o complexo tem alto potencial para atrair as locações: alunos da 3ª série até a faculdade. A ideia nasceu da observação da concorrência para locação das quadras atuais, pois há espaços que só têm data disponível para setembro de 2017, por exemplo. Considerando a locação de duas cantinas, cobrança de publicidade, local para vending machine, entrada, camarote e área de estacionamento, a receita mensal estimada é de 484 mil dólares. Porém, a despesa operacional mensal também é alta. Além dos impostos, consumo de luz (todo espaço é refrigerado), custo com funcionários, limpeza, manutenção das redes, tabelas, polimento das quadras consomem mensalmente 295 mil dólares. Subtraindo a receita das despesas chegamos a um lucro mensal de 189 mil dólares.

Portanto, menos de um ano após a inauguração do complexo, o investidor recupera seus 1,3 milhão de dólares aportados, com um negócio sólido, dando lucro e com rentabilidade.

VistoEsse aporte em um novo negócio também possibilita que o investidor aplique para um visto L-1, EB-5 (ativo) ou E-2.

E-2

O programa E-2 (categoria não-imigrante) permite que um cidadão de um país com tratado de comércio ou de navegação com os EUA aplique para um visto mediante um investimento nos

EUA. Daniel Toledo, sócio-diretor da Loyalty Miami e advogado especialista em Direito Internacional estima que o investimento ideal seja algo em torno de pelo menos 120 mil dólares, em um negócio de risco. É necessário ainda que o negócio esteja em andamento ou em vias de, ou seja, ter as coisas estruturadas, com funcionários, ponto de venda ou escritório, capital de giro, compra de equipamento, estoque, etc. Pode ser para franquias, desde que novas, startups, porque o investimento requer que haja algum risco para a concessão do visto temporário.

O Brasil não é um signatário desses tratados com os EUA, mas brasileiros com cidadania em países como Itália, Argentina, Espanha, Alemanha, Japão, Colômbia, Venezuela, México, entre outros, podem aplicar para esse visto. O visto E2 é temporário, normalmente de dois anos, renovável e pode ser prorrogado por tempo indeterminado, tornando-se um visto permanente. O cônjuge do investidor recebe automaticamente uma autorização de trabalho sem restrições e as crianças menores de 21 anos estão incluídas.

L-1 (Transferência de executivo, sócio ou administrador)

O visto L-1 (categoria não-imigrante) permite que uma empresa brasileira transfira um executivo para seu escritório nos EUA, de uma subsidiária ou de uma coligada. É importante que o executivo seja um gestor na companhia e tenha função administrativa, com uma equipe abaixo dele, com funcionários como secretária, supervisor, equipe de vendas, etc.

É necessário que ele demonstre capacidade de gestão e administração do negócio. Um número razoável, segundo Daniel Toledo, é de 80 a 100 mil reais por mês de faturamento. É possível demonstrar esse número por meio do imposto de renda da empresa, um documento oficial do contador com firma reconhecida, folha de pagamento, balancete, extratos bancários, etc. Após a qualificação da empresa brasileira é preciso fazer a transferência do sócio / administrador para a empresa dos EUA, que é uma coligada ou subsidiária. As empresas não precisam ter o mesmo objeto social, uma pode ser uma panificadora e a outra uma floricultura, explica Daniel.

O valor mínimo de capital de investimento seria de 80 a 100 mil dólares e deve ser um capital disponível em conta corrente para comprar equipamento, maquinário, contratação de pessoas, capital de giro, etc. “O negócio sustenta o visto, portanto é importante ter um business plan bem estruturado”, conta Daniel. Se o visto for aprovado, ele tem validade de um ano. Após esse período é necessário fazer a prestação de contas. Caso tudo seja cumprido, o visto é renovado por mais dois anos. Vale lembrar que a empresa brasileira é fundamental para manter esse visto.

EB-5 (Programa de investidor imigrante)

O EB-5 é um programa no qual se pode investir a partir de 500 mil dólares diretamente em um negócio próprio, ou em um Regional Center para gerar emprego para, pelo menos 10 americanos. Então, depois de cerca de 18 meses do início do negócio, você obtém um Green Card temporário.

As grandes vantagens desse programa são o Green Card direto e o seu baixo risco de reprovação pela USCIS (United States Citizenship and Immigration Services). Porém, é um visto caro (além dos 500 mil dólares gasta-se mais 75 mil dólares entre taxas e advogado). O EB-5 confere um status permanente nos EUA para o investidor, seu cônjuge e filhos de até 21 anos, pois garante a possibilidade de trabalhar e os mesmos direitos de cidadãos americanos com relação à educação e bolsas em faculdades, por exemplo.

Veja, abaixo, uma explicação sobre os detalhes de faturamento e despesas do local, considerando um funcionamento das 9 às 19 horas, diariamente.

Racional do faturamento

PARTE 1

6 quadras jogando simultaneamente aos finais de semana durante 10 horas por dia.

· Locação por hora = Time A X Time B = 250 dólares cada time. Cada jogo custa 500 dólares = 500 dólares x 6 quadras = 3 mil dólares por hora

Se trabalhar 10 horas por dia = 30 mil dólares por dia, 60 mil dólares por final de semana = 240 mil dólares por mês

· Cantina = 3 mil dólares cada uma, são 2 cantinas = 6 mil dólares por mês

· Estacionamento = 125 vagas = 5 dólares por vaga = estimativa média = 3 mil dólares por final de semana = 12 mil dólares por mês

· Ingressos = 300 pessoas pagando 10 dólares por hora = 20 mil dólares por dia = 160 mil dólares por mês

· Publicidade = 6 mil dólares por mês

424 mil dólares por mês de receita

PARTE 2

Durante a semana, entradas e estacionamento não são cobrados, portanto nestes dias o aluguel das seis quadras, gira um lucro mensal de 60 mil dólares por mês.

Racional de despesas

Despesa operacional alta = impostos, IPTU, luz (todo espaço é refrigerado), funcionários, limpeza, manutenção das redes, tabelas, polimento das quadras.

· Despesa média de 280 mil dólares por mês

· Despesas extraordinárias (manutenção) 15 mil dólares por mês

295 mil dólares por mês de despesa

Racional do lucro

424 mil dólares de receita aos finais de semana

+ 60 mil dólares de receita durante a semana

- 295 mil dólares de despesa operacional

= 189 mil dólares de lucro por mês

Links da Loyalty Miami

www.loyalty.miami

www.facebook.com/loyaltymiami

www.youtube.com/loyaltymiamiusa

contato@loyalty.miami

WhatsApp +1 (305) 988-2283

click na imagem e confiram nossas ofertas!