Síndrome do domingo á noite.

Sabe quando você tem um sentimento inexplicável no peito que acontece no finalzinho de domingo?Pode ser sinal de que você vem adiando algo importante em sua vida.Saiba como alcançar esta mudança.
Você já ouviu falar em síndrome do domingo a noite?Aquela sensação de nostalgia, uma certa angústia, um sentimento de vazio no peito que nos pega nos domingos a noite?Especialmente quando começamos nos preparar para o dia seguinte?
E sabe porque isso acontece? Pois é neste exato momento que você logo pensa:acabaram os meus momentos de alegria de fazer aquilo que gosto, de estar com quem eu amo, lá se vai a minha paz, agora é ir para a luta, encarar a segunda feira, tudo de novo.
Saiba que você não está sozinho, segundo pesquisas do ISMA (International Stress Management Association) mais de 70% das pessoas não estão satisfeitas com o seu trabalho.E se você estiver num patamar legal da sua carreira, com uma boa remuneração, alguns benefícios, uma ilusória estabilidade tudo torna-se ainda pior, pois o que você escuta de você mesma e dos seus amigos ao tentar desabafar é: Como assim você não é feliz?
É eu já passei por isso e o sofrimento é bem grande, pois além de não se sentir plenamente realizada você ainda acaba se sentindo uma ingrata por tudo o que já conquistou. E sabe quando tudo isso começa? Muito antes de nós chegarmos ao jardim da infância. Desde sempre a crença da sociedade em geral e dos nossos pais, principalmente se eles estão ali na casa dos 60 anos, 70 anos é de que trabalho é uma obrigação, é um sofrimento necessário para pagarmos nossas contas e nos mante e adquirimos um ou outro "luxo" como viajar nas férias, ter um carro bacaninha, uma casa própria e outras coisas mais. O trabalho está relacionado ao nosso nível de sobrevivência e nada mais.
Assim, diversão, o prazer e o bem estar ficam reservados apenas para os momentos de folga, para os finais de semana, para as férias uma vez ao ano e quem sabe na aposentadoria.E isso é uma programação que temos desde sempre, e é essa programação a respeito do trabalho que faz você e outras tantas pessoas aceitarem situações que não traz plenitude, que não te traz prazer, reconhecimento, autoestima, felicidade, pois de novo acredita-se que trabalho e felicidade não combinam.
Graças a Deus isso vem mudando é só dar uma olhadinha para os lados e você vai perceber que muita gente está buscando essa mudança, de realizar aquilo que gosta, colocando seus talentos no mundo, adaptando trabalho ao estilo de vida que quer ter, obtendo retorno financeiro, reconhecimento profissional e felicidade tudo isso junto e misturado. Encarando o trabalho não só como uma necessidade de sobrevivência mas como algo mais elevado, estamos em busca de significado, em entregar e contribuir com o mundo com aquilo que nos cabe, o nosso propósito.
Aí você pode se questionar, mas como isso é possível? isso não é para mim, eu não tenho dinheiro, tempo, etc. Mas acredite você pode se estruturar e se planejar para isso. O que não dá é para aceitar a infelicidade no trabalho como sendo um mal necessário. Não dá para fingir que não ouve o chamado do seu coração sussurrando de todas as formas e muitas vezes até gritando em somatizações físicas.
Um bom início é você imaginar e colocar no papel o seguinte exercício.Pegue papel e caneta e reflita agora comigo sobre um dia perfeito.
Como é um dia de trabalho que você está feliz? Pense num dia especifico da sua vida que você estava realizada no trabalho. Imagine a cena mentalmente e responda.O que você está fazendo? Quais habilidades e talentos você está utilizando? O que está acontecendo? O que você falava internamente para você mesma? Com quem você estava? Como é o ambiente quando isto aconteceu?Anote tudo.Agora você deve imaginar o oposto, como é um dia ruim de trabalho, recorde-se de um dia que não lhe agrada e se faça as mesmas perguntas.
Feito isso, numa outra folha dividida-a em três partes iguais e reflita primeiramente para um bom dia e depois para um dia ruim.Respondendo: O que você precisa começar a fazer? O que precisa parar de fazer? e o que precisa continuar fazendo ou fazer mais?
Faça isso com verdade e comprometimento, tome um tempo para você fazer este mergulho interno e vai terá muitos insights.
Se conhecer, saber o que te motiva, saber quais atividades você gosta, reconhecer os seus talentos e valores é essencial para qualquer mudança de vida.E com planejamento e consciência é possível fazer a transição para uma vida com mais significado e felicidade.
Espero que você tenha gostado da leitura.
Com amor,Fernanda Cavalante.Viva proposital Mente.
Espero te encontrar nas minhas redes sociais.https://www.facebook.com/vivapropositalmente/

@vivapropositalmente

55 (11) 97596-9664




 

upload.jpg
upload.png