AFIRMAR-SE OU IMPOR-SE?

AFIRMAR-SE OU IMPOR-SE?

Na busca pela afirmação da identidade, muito se ouve que “é preciso se impor” ou “o mundo tem que aceitar você como você é”.

“Afirmar-se” é diferente de “impor-se”. Colocar-se diante do mundo vivenciando a própria essência é fundamental para a felicidade. O mundo precisa sim aceitar cada um de acordo com sua individualidade, suas particularidades, luzes e sombras, mas isso não significa que alguém possa ser autoritário e agressivo, por exemplo, sem buscar harmonizar as relações, e os demais devem aceitar calados.

Geralmente a pessoa que opta por se impor em vez de se afirmar é a que  se utiliza muito do verbo “policiar-se”, vale dizer, as exigências e cobranças começam consigo e se expandem para os outros.

Que tal em vez de “policiar-se”, “observar-se” e “conhecer-se” mais e melhor?

A vida pode (e deve) ser leve, com responsabilidade, mas sem culpa. Bora dissolver a ideia de que tudo tem de ser difícil, árduo, pesado e superficial?

Sinto muito, me perdoe, te amo, sou grato (a).

Sinto muito, me perdoe, te amo, sou grato (a).

Sinto muito, me perdoe, te amo, sou grato (a).

 

FOTOPERFIL24JULHO.jpg

Ademir Barbosa Júnior (Dermes) é terapeuta holístico e escritor. Mestre em Literatura Brasileira pela USP, é também Doutor Honoris Causa pelo MCNG-IEG (2018) e pela FEBACLA (2019), membro da Academia Independente de Letras e sacerdote umbandista.