HO’OPONOPONO FUNCIONA?

HO’OPONOPONO FUNCIONA?

 

            Hoje de manhãzinha, em minha caminhada, fui pegar o japa mala no bolso e ele estava todo retorcido. Como o fio é de nylon, tomo muito cuidado ao desenrolar. Estava muito intrincado. Tentei algumas vezes sem resultado positivo. Então, guardei no bolso. Não precisava do japa mala para fazer Ho’oponopono durante a caminhada. Quando terminei, instintivamente coloquei a mão no bolso, peguei o japa mala e o mesmo estava desenrolado. Pensei na lição: não se precisa fazer esforço para desatar os nós, eles mesmos se desatam, naturalmente.

            Essa tranquilidade me vem ao longo da vida por várias fontes. Há 11 meses ela se aprofunda com a vivência sistemática do Ho’opononopo. Há anos conheci a prática pela mesma pessoa me apresentou o Reiki, achei lindo, li um livro sobre, coloquei informações em alguns de meus livros, mas nunca havia aprofundado, vivenciado no cotidiano. Diversos foram os caminhos que me levaram à imersão a partir de fevereiro de 2018. Aliás, foi o ano mais difícil da minha vida, desde janeiro, e não digo isso como crença cristalizada, mas como processo de cura: para uma ferida cicatrizar, primeiro ela sangra, solta pus, depois tecido e pele se recompõem e, às vezes, nem fica cicatriz.

“Ho’oponopono” na língua original havaiana significa “corrigir um erro” ou “tornar certo”. Mas de que erro se trata? Culpa? Pecado? Não. Trata-se de memórias, crenças cristalizadas, inconsciências. O Ho’oponopono cancela essas memórias (palavras, atitudes, padrões) de maneira que o espírito se afine com o Espírito, pois é de sua natureza. A isso os doutores Hew Len e Joe Vitale chamam de “Zero”.

            Assumir a plena responsabilidade pela própria vida não é o mesmo que se culpar pela infelicidade. Na verdade, a maioria das pessoas se culpa o tempo todo por inúmeras situações, mas não se responsabiliza, sobretudo pela realidade que pode e deve vivenciar. A culpa paralisa. A responsabilidade nos transforma.

            Além de conduzir vivências de Ho’oponopono (como em toda processo de autoconhecimento, o terapeuta auxilia e ampara no caminho, mas a caminhada é pessoal e única), tenho escrito a respeito, falado em diversas lives e mantido um grupo colaborativo no WhatsApp.

Quem quiser participar, basta me adicionar: 47 997855349.

            Aloha (“A Divindade que habita em mim saúda a Divindade que habita em você!”)!

 

FOTOPERFIL2.jpg

Dermes (Ademir Barbosa Júnior) é terapeuta holístico, atuando com várias técnicas. É escritor e professor, Mestre em Literatura Brasileira pela USP, Doutor honoris Causa pelo MCNG – IEG e Pós-graduado em Ciências da Religião pelo Instituo Prominas.

            Contatos: 

Email: ademirbarbosajunior@yahoo.com.br 

Fone: 47 997855349 (WhatsApp).