Acordo Voluntário .

Bianca Edwards

Empresária e Administradora de Negócios

Bianca é uma sul-mato-grossense feliz da vida, que ama viajar, curte rock, blues, bossa nova & fotografia. E gestora do departamento internacional da Aspect Plus em Londres, sempre antenada em economia, finanças, insolvência, e é fascinada pelo mundo mágico das relações públicas e da ciência da criminologia.

 VOCÊ JÁ OUVIU FALAR DE ACORDO VOLUNTÁRIO IVA?

 Um administrador licenciado de Insolvência negocia um acordo juridicamente vinculativo entre você e seus credores, permitindo que você pague o que deve de acordo com as suas reais possibilidades ao longo de um período fixo, o que geralmente é de 5 anos.

 QUAIS DÍVIDAS PODEM SER INCLUÍDAS EM UM IVA?

Normalmente todas as dívidas não cobertas por uma garantia podem ser incluídas em um IVA.

DÍVIDAS PERMITIDAS A INCLUIR, MAS NÃO ESTÃO LIMITADAS A:

* Cartões de crédito

* Empréstimos pessoais

* Dívidas de catálogo

* Cartões de loja

* Cheque especial / Descoberto bancário

* Saldos pendentes após reintegração de posse da casa ou do veículo

* Empréstimos de negócio para o qual o cliente é pessoalmente responsável

* Dívidas com o HMRC

DÍVIDAS QUE NÃO PODEM SER INCLUÍDAS:

* As dívidas garantidas tais como hipotecas e outros empréstimos garantidos

* Locação com opção de compra

* Aluguel e Council Tax em atraso (a menos que seja de uma propriedade anterior)

* Empréstimos estudantis

* Quaisquer multas ou penalidades provenientes de atividades criminosas

* Pensão alimentícia em atraso

* Crédito fiscal / Benefícios indevidamente recebidos

 POSSO MANTER ALGUMAS DAS MINHAS DÍVIDAS FORA DO IVA?

Não. Você não pode favorecer um credor em detrimento de outro. Todas as suas dívidas não garantidas, incluindo empréstimos, cartões de crédito, cartões de loja, cheque especial, contas fiscais e até mesmo algumas contas antigas de serviços de utilidade (como água, luz) terão que ser inclusas no IVA. Se você continuar a ter crédito fora do IVA, o mesmo poderá não funcionar e haverá risco de falência. É importante que seja honesto com os credores, pois, afinal, eles estarão anulando boa parte da sua dívida.

QUANTO VOU PAGAR A CADA MÊS?

Você só irá pagar o que pode por mês. Nós vamos ajudá-lo a calcular este valor quando analisarmos suas receitas e despesas. Basicamente, você paga o que é chamado de “renda disponível”, que é o valor que lhe resta após arcar com as despesas necessárias para o seu sustento, desde que as mesmas sejam essênciais e plausíveis. Credores têm limites em relação ao que aceitam como gastos, pois, naturalmente, receberão menos se você estiver gastando mais com custos de vida, mas iremos analisar essas despesas e ajudá-lo com o seu plano de orçamento mensal.