Como os hormônios podem influenciar a vida da mulher?

Como os hormônios podem influenciar a vida da mulher?


HORMÔNIOS NAS FASES DA VIDA DA MULHER:  seus  amigos ou inimigos?


By Dr. Vania Martins - Ginecologista e Mestre em Saúde Reprodutiva

GMC: 7055434


Quantas vezes você se olhou no espelho e disse: “Engordei, mas não mudei minha dieta, eu faço exercício, não como à noite !" ou "Que calor horroroso aqui ! Ninguém mais está sentindo?” ou "Estou irritada agora, não quero conversar com ninguém hoje!!!”. Eu aposto que você já se sentiu assim várias vezes. Por que será?

Talvez você mesma já tenha se perguntado por que uma hora está tão feliz e em pouco tempo está tão irritada, com dor de cabeça, não consegue se concentrar em seu trabalho, muito menos quer passar perto de seu companheiro, está sem paciência com seus filhos e amigos. São sentimentos tão opostos e que parecem que resolveram sabotar você num mutirão de sentimentos.

Nós, mulheres, temos vários hormônios circulando em nosso corpo, e de fato eles contribuem e/ou muitas vezes se tornam nossos inimigos, verdadeiros sabotadores.  Você não me entendeu ainda? Estou falando de como os hormônios nos influenciam por toda vida.

As mudanças de humor podem ser mais intensas nos seguintes períodos: pré-adolescência, gravidez, no período de  tensão pré-menstrual (TPM) , na perimenopausa   (climatério) ou  menopausa.


  O que os hormônios podem causar?

Dependendo dos níveis hormonais, a mulher pode sofrer com insônia, labilidade emocional, nervosismo ou irritação, ansiedade, depressão, perda ou ganho de peso, falta de menstruação, menstruação excessiva, entre outras causas.

PRINCIPAIS HORMÔNIOS FEMININOS:

   Estrogênio (HORMÔNIO DA BELEZA FEMININA):

  O chamado hormônio da beleza (Afrodite, deusa da beleza e da feminilidade) é responsável por regular o ciclo menstrual,  ajuda no desenvolvimento das mamas, regula as funções da reprodução (ovulação, ciclos menstruais regulares), protege a mulher de problemas cardiovasculares como angina e ataque cardíaco. Uma queda acentuada no nível de estrogênio pode, por exemplo, acarretar depressão, tristeza profunda, isolamento, desânimo, falta de interesse pelo sexo oposto. O estrogênio é hormônio que domina a primeira metade do ciclo menstrual, geralmente faz a mulher ficar mais ativa, com humor estável, mais cuidadosa de sua aparência, mais sociável, extrovertida, dinâmica e mais preocupada com sua vida profissional.


  Progesterona

O hormônio progesterona, produzido pelo ovário após a ovulação (em mulheres que ovulam), é considerado o hormônio da gestação, pois prepara o útero para gestação. A progesterona age tornando a camada uterina do útero receptiva ao embrião e aumenta a temperatura corporal da mulher. Nesta fase, se ocorreu a ovulação, você vai ficar mais calma, sentindo como se estivesse uma pequena febre,  mais sonolenta, a libido diminui um pouco. Os efeitos negativos são pele com excesso de oleosidade, acne, muda, os cheiros são diferentes e a fêmea fica menos atrativa. Tudo isso é um mecanismo natural de defesa de uma provável gestação.

   Testosterona (HORMÔNIO DA FORÇA)

Se os níveis de testosterona forem elevados, na mulher, os seguintes  sinais e sintomas podem ocorrer: aparecimento de acne severa, pelos na face, queixo, mamilos,  a voz fica mais grossa, ciclos menstruais irregulares,  longos (mais de 35 dias entre as menstruações) ou  desaparecimento da menstruação, aumento na  oleosidade da pele e agressividade. Se os níveis forem baixos, haverá uma diminuição na libido, perda de massa muscular, flacidez.

  Prolactina (HORMÔNIO DA AMAMENTAÇÃO):

Responsável pela produção de leite, ajuda a trazer bem-estar e a preocupar-se mais com o próximo. Mas se esse hormônio aumenta fora do período de gravidez e ou lactação, a mulher pode ter problemas no ciclo menstrual, aumentar de peso, ter dores de cabeça, problemas de visão, já que este hormônio é produzido pela glândula hipófise que fica na nossa cabeça.

Hormônios da Tireoide (HORMÔNIO DO METABOLISMO):

Hipotireoidismo

Se a produção de hormônios tireoidianos é insuficiente, a mulher terá o hipotireoidismo. Tudo começa a funcionar de forma mais lenta no corpo: o coração bate mais devagar, prisão de ventre. Também podem ocorrer diminuição de memória, cansaço excessivo, dores musculares e articulares, excesso de sono, pele seca, ganho de peso, aumento nos níveis de colesterol total e do mau colesterol no sangue; e o pior, depressão severa. Na verdade, o organismo nesta situação tenta "parar o indivíduo", já que não há “combustível” para ser gasto (falta de hormônio da tireoide).

Hipertireoidismo

Se há produção  excessiva de hormônio da tireoide, acontece o contrário, o hipertireoidismo. Nesse caso, tudo no nosso corpo começa a funcionar muito rápido: coração acelera; diarreias; agitação; fala-se muito e sem parar; gesticula-se muito; insônia; necessidade de gastar energia, mas também muito cansaço.



  Flutuações hormonais

O que mais atinge as mulheres são essas flutuações hormonais, pois o desequilíbrio hormonal pode aumentar os níveis de estresse e depressão, causar obesidade, baixa autoestima. queda de cabelo, unhas quebradiças, manchas na face (melasmas) e muito mais.

Hormônios nas adolescentes (PUBERDADE)

A mudança no corpo da adolescente, com o crescimento dos seios, cintura alargando, o surgimento dos pelos nas axilas e pubianos e finalmente a menstruação, pode deixar as adolescentes um pouco confusas sobre o processo de mudanças fisiológicas que ocorrem em seu corpo. Muitas das vezes a adolescente se sente insegura e em conflito, por exemplo, a dúvida sobre se continua a brincar de boneca ou se deve  começar a desenvolver um comportamento  de mulher madura. Essas ambiguidades podem trazer irritação, depressão, revolta, distanciamento dos pais, doenças psicossomáticas para chamar a atenção dos pais e brigas dentro do lar, por isso é tão importante que o casal tente se aproximar de seus filhos e os suporte nesse novo processo de conhecimento do corpo e novas sensações.  As mudanças acima normalmente ocorrem devido à produção de estrogênio e progesterona pelos ovários e também devido aos androgênios (hormônios masculinos hormônios produzidos pela glândula suprarrenal). 


   Tensão Pré-Menstrual - (TPM)

Durante a TPM ocorre uma retenção de líquidos, que poderia levar ao edema cerebral, que provoca todos os sintomas emocionais dessa fase. Os principais são irritação, nervosismo, tristeza, inchaço nas pernas, dores de cabeça, dificuldade de concentração, dentre outros que são comuns no período pré-menstrual. O uso de algumas medicações hormonais pode corrigir as flutuações hormonais desse período, levando ao bem-estar físico e emocional.  Então, tente manter  os seus  níveis hormonais constantes. Dica: evite e alimentos ricos em açúcar refinado, frituras, chocolates com altos níveis de leite, faça exercícios aeróbicos,  medite, dance, CBT, procure ajuda espiritual.

  Na gravidez

Os hormônios podem deixar a grávida emotiva, sensível, ansiosa, com sensação de que seu corpo está feio e de que ela está muito gorda; isso ocorre porque as taxas hormonais aumentam muito. Durante a gravidez, vários hormônios são produzidos como elevadas quantidades de progesterona (manter a gravidez), prolactina (prepara a mama para a amamentação), hormônios da tireoide (o pescoço alarga).

Na menopausa

Por volta dos 45 - 50 anos, a menstruação da maioria das mulheres cessa, o que é a chamada menopausa. Normalmente, já no período de pré-menopausa (climatério) os calores começam a ser insuportáveis e intercalados com a sensação de frio (ondas de calor). Em muitos casos, as mulheres aumentam de peso à custa de deposição de gordura abdominal e na cintura, há diminuição da libido, ressecamento vaginal (queimação para ter relação sexual), insônia, tendência ao mal de Alzheimer e demência, depressão, osteoporose, infecções urinárias de repetição, por isso torna-se tão importante a reposição hormonal, para que o corpo fique em equilíbrio. A pele da mulher que faz reposição hormonal pode ficar mais jovem, sedosa, macia, já que o estrogênio é responsável pelas curvas na cintura e elasticidade do nosso corpo.


É importante que tenhamos conhecimento sobre como os hormônios agem em nosso corpo e estimulam certas atitudes. Mas vale lembrar que o autocontrole é a melhor forma de se equilibrar e não transformar seu dia em algo exaustivo e infeliz. Por isso, nós, mulheres, devemos ser sábias e não nos aproveitarmos da situação do descontrole hormonal para destilar raiva, indiretas e contendas. Podemos ter autocontrole e equilibrar nossa vida trazendo mais união familiar em volta de todos os que amamos!

upload.png