Entenda porque os brasileiros são mal vistos e Mude sua atitude!!

Entenda porque os brasileiros são mal vistos e Mude sua atitude!

Por Daniel Toledo*


Grande parte da população brasileira ainda não tem a cultura política de saber discernir e entender o que o País realmente precisa. Nós brasileiros ainda nos apegamos a promessas de campanha. Isso vem mudando um pouco, mas o pensamento ainda não é coletivo, tipo do que realmente o Brasil precisa?


E, essa forma de enxergarmos e vivermos a política me chama para um outro assunto: brasileiros viajando para os Estados Unidos. A representatividade política do Brasil é ruim e o brasileiro se prejudica com isso, mas o americano trata muito bem quando viajamos para cá para gastar dinheiro, girar a economia, nos hospedar em hotéis, curtir e gastar dólares.


Infelizmente, algumas pessoas não percebem o quanto isso é nocivo para quem vem para os Estados Unidos para trabalhar, construir uma nova vida melhor para a família, para se estruturar. Então, eu sugiro uma listinha dos principais problemas que eu enfrento com os brasileiros e que muitas vezes vocês vão escutar: fujam dos brasileiros nos Estados Unidos, não fiquem perto dos brasileiros, não se relacionem comercialmente com eles!


Primeiramente, a maioria dos brasileiros que se mudam para os Estados Unidos acha que pode fazer tudo que fazia no Brasil, que está na casa dele. Então, chega aqui querendo impor os seus limites, em vez de respeitar os limites do País. A gente tem de se mudar para algum lugar com humildade, com a consciência de querer aprender e de observar aonde que a gente vai se encaixar dentro daquele circuito que já está funcionando. Muitas vezes isso acaba afastando as pessoas que iriam ajudá-lo e atrai pessoas que enxergam nesse brasileiro uma oportunidade de tirar vantagem. Porque pessoas que realmente fariam coisas de coração, que ajudariam, que abririam portas, que se preocupariam com ela, se afastarão, por sentir o desrespeito dessa pessoa que está chegando.


Outro ponto é que o brasileiro chega achando que é esperto e que o jeitinho brasileiro vai resolver todas as coisas, mas aqui não funciona assim. O americano é totalmente contrário a isso, ele segue regras: pode ou não pode. Não tem mais ou menos. Não tem o ‘ah, deixa eu ver se eu consigo achar uma solução para o problema’. Se o problema aqui não tem solução, solucionado está. Se a solução não estiver escrita, mais solucionado está ainda, porque ele não busca nem a possibilidade de achar uma possível resposta em uma outra circunstância, ele não pensa nisso. O americano é muito direto em suas decisões e em suas atitudes.


Normalmente quando você muda para cá você quer uma mudança na sua vida, não porque sua vida no Brasil está uma porcaria, mas porque você quer uma perspectiva diferente, você quer dar para o seu filho, por exemplo, uma condição de vida melhor, você quer dar para sua família uma condição de vida diferente. Então, se você quer algo diferente, haja de forma diferente, venha do Brasil com uma consciência diferente, venha do Brasil com uma postura diferente, porque senão você vai chegar aqui e vai tomar pedrada de tudo que é lado.


O brasileiro é um povo simpático, acolhedor, e alguns querem tirar vantagem disso, porém por aqui isso definitivamente não funciona. Morar nos Estados Unidos é muito caro, a vida é cara, você ganha muito bem, mas você também gasta muito. Você consegue se estruturar aqui, com certeza, mas também se você der uma escorregadinha, você toma um prejuízo imenso! Já aconteceu comigo muitas vezes, de clientes virem para cá e depois que já tem toda a documentação pronta, a pessoa vira e fala: olha, um amigo meu me indicou um outro advogado que é primo do cunhado da irmã, e fica chato se eu não fizer com ele. Ou inventa uma desculpa porque consegue alguém que faz o trâmite muito mais barato. Eu não discuto. Porém, em 99% dos casos, as pessoas voltam com problemas maiores.


Então uma dica é a de que se vocês acharem um parceiro que realmente vista a camisa de vocês e vá com vocês até o final, não pise na bola com ele, porque talvez ele seja a única pessoa que vai te ajudar na hora que você chegar aqui. E outra coisa que também é uma situação muito recorrente aqui nos Estados Unidos são as relações por interesse. As pessoas olham para você, acham que você tem um conhecimento um pouquinho melhor, intelectual, ou que você tem um dinheirinho a mais sobrando, vai chover amigo para você. Amigos por interesse. Amigos brasileiros que de alguma forma tem uma limitação. Ou eles não têm o dinheiro que eles precisam pra investir no negócio deles e você tem, ou eles não têm a capacidade intelectual que você tem. Um milhão de oportunidades aparecerão. Cuidado com essas oportunidades, principalmente as que vêm de brasileiros, porque os americanos ficam constrangidos em fazer esse tipo de proposta.


Por isso eu falo sempre sobre humildade. Quando vocês vierem para cá, lembrem de uma coisa: o brasileiro cresce ouvindo “nós somos o País do futuro, nós temos uma riqueza natural imensa”. Verdade! Mas para quem está fora do nosso País isso não tem a tamanha importância que achamos. Então, quando você vai morar fora, chegue humilde em qualquer lugar. Nós somos o único País no mundo que fala português brasileiro, então, a gente não é melhor do que ninguém. A gente tem muito que aprender. A gente tem muito que se socializar. A gente tem muito para evoluir. E com certeza absoluta se vocês vierem com essa cabeça, vocês vão aprender muitas coisas diferentes aqui nos Estados Unidos, e verão o quanto o mundo pode se abrir para vocês.


*Daniel Toledo é advogado especialista em Direito Internacional, sócio-diretor da Loyalty Miami www.loyalty.miami e presidente da ABAC – American Brazilian Association of Commerce www.abacmiami.com.

Links da Loyalty Miami

www.loyalty.miami

www.facebook.com/loyaltymiami

www.youtube.com/loyaltymiamiusa

contato@loyalty.miami

WhatsApp +1 (305) 988-2283